Parto normal – o meu relato

 Bem eu vou vos deixar aqui o relato do meu parto de parto normal, foi um parto bem diferente do Martim, mas é um momento único e que deve ser vivido de forma mais plena possível.

 

A Mafalda ia nascer de parto induzido no dia 16 de Junho.

Tinhamos indução marcada para 8h manhã, no entanto esta pequena quis nascer mais cedo e as 3h manhã do dia 16 comecei com contrações… no meio disto tudo o miguel foi deixar o Martim as avós e eu fiquei em casa na bola de pilates. ⠀

 

A caminho do hospital…

parto normal
Quando Miguel chegou fomos para hospital, no caminho lembrei me que não tinha os documentos…voltamos para casa… no meio disto tudo cheguei hospital  as 3h manhã. ⠀

Após a triagem fiquei na urgência (ja estava com 3 dedos de dilatação) mas como não havia quartos disponíveis na sala de partos… fiquei um tempinho na urgência.⠀
Quando fui para sala de partos antes de levar a epidural, ainda tomei banho. Importante referir que estive sempre acompanhada pelo Miguel.⠀

 

Lembro me das dicas do curso de preparação para o parto:

  • tomar banho 
  • movimenta te o mais possível ( andar se possível)
  • usa bola de pilates
  • pede ajuda teu companheiro
  •  
Lê também o artigo  “visitas recém-nascido : 6 regras essenciais.”

 

Epidural

Podemos sempre pedir epidural seja um parto normal ou provocado. Do Martim também pedi epidural, depois depende de pessoa para pessoa… ter efeitos secundários.

“Quando a epidural começa a fazer efeito, o que ocorre de forma progressiva e de baixo para cima, a grávida começa a sentir calor, a sensação de peso nas pernas e de formigueiro. Entretanto, o anestesista vai verificando o nível da anestesia para perceber se a grávida está pronta para o parto.” (Cuf)

A anestesia pode causar alterações ao nível da tensão arterial, o que, por sua vez, poderá provocar tonturas e enjoos. Por esta razão, os valores da tensão arterial vão sendo monitorizados com regularidade e podem ser necessários fármacos para a controlar.

Após epidural o trabalho de parto foi um bocadinho lento pelo que levei ocitocina para acelerar o parto.


Na altura da expulsão percebemos que Mafalda não estava bem encaixada pelo que foi chamada a médica…esta médica ajudou Mafalda encaixar e no fim tivemos de utilizar ventosas. 


A rapariga ainda vinha com cordão enrolado no corpo, mas mesmo assim médica deu me o privilégio de cortar o cordão umbilical.


Foi sem dúvida um parto um bocadinho mais desafiante do que o do Martim…mas correu tudo bem e cá estamos bem e cheias de saúde.⠀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *